RELEASES EMPRESARIAIS

QUARTA-FEIRA, 13 DE NOVEMBRO DE 2019 - Horário 19:38
nbe
ECO/ PRNewswire - Receita líquida de Natura &Co cresce em todas as marcas no 3º trimestre

SÃO PAULO, 13 de novembro de 2019 /PRNewswire/ -- Natura &Co registrou forte crescimento no terceiro trimestre de 2019, com aumento da receita em suas três marcas: Natura, The Body Shop e Aesop.

O grupo também deu passos importantes para o fechamento da aquisição da Avon Products, Inc.: apenas alguns dias após o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) ter aprovado a transação sem ressalvas, hoje os acionistas de Natura e Avon votaram a favor da aquisição em suas respectivas assembleias extraordinárias. Dessa forma, o grupo está no caminho para que o fechamento da aquisição aconteça no primeiro trimestre de 2020, como planejado, criando o quarto maior grupo exclusivo de beleza no mundo, líder na relação direta com o consumidor.  

O trimestre também foi marcado por avanços relevantes em sustentabilidade de Natura &Co: o Programa Natura Carbono Neutro, que compensa todas as emissões de gases de efeito estufa da companhia, recebeu o mais relevante reconhecimento dado a iniciativas de combate às mudanças climáticas, o Global Climate Action Award, da Organização das Nações Unidas. A The Body Shop, por sua vez, juntou-se à Natura e foi certificada como Empresa B.

A receita líquida consolidada de Natura &Co alcançou R$ 3,5 bilhões no terceiro trimestre, alta de 7,2% em bases reportadas, e de 10,1% em moeda constante. O EBITDA ajustado ficou em R$ 459,3 milhões, enquanto o lucro líquido foi de R$ 68,6 milhões, reflexo de investimentos programados da Natura em sua marca e em digitalização, além de custos não-recorrentes relacionados à aquisição da Avon. Entre janeiro e setembro, a receita líquida aumentou 6%, para R$ 176,6 milhões.

"Natura &Co registrou um notável desempenho de vendas no terceiro trimestre, superando expectativas, com crescimento de dois dígitos em moeda constante. Todos os negócios e marcas contribuíram positivamente para o resultado, apesar de um mercado desafiador no Brasil, onde ainda assim a Natura continuou a ganhar participação, e em Hong Kong, que impactou a The Body Shop e Aesop. A lucratividade refletiu dois efeitos que contribuirão para o fortalecimento do nosso grupo multimarca: um aumento planejado e pontual nos investimentos da Natura em sua marca e em operações digitais, que tornará mais robusto o seu crescimento futuro, além de custos não-recorrentes associados à aquisição da Avon Products, Inc.", afirmou Roberto Marques, presidente executivo do Conselho de Administração de Natura &Co. 

"O trimestre foi marcado ainda por vários destaques: a Natura comemorou o seu 50º aniversário e ingressou em um novo país, a Malásia, apoiando-se no conhecimento da The Body Shop do mercado local. A The Body Shop, por sua vez, juntou-se à Natura ao obter a certificação como Empresa B e inaugurou sua nova loja-conceito em Londres, reconectando-se à sua herança ativista. Já a Aesop, em contínua expansão, intensificou as suas ações de sustentabilidade. Todas as conquistas ao longo do trimestre são passos decisivos na construção do nosso grupo multimarca, multicanal e orientado por propósitos", concluiu Marques.

A receita líquida ajustada da Natura aumentou 8,1% no terceiro trimestre, impulsionada por lançamentos inovadores de produtos. A produtividade por consultora aumentou pelo 12º trimestre consecutivo, a plataforma digital da Natura (com website e app dedicados à atividade de Consultoria) alcançou 860 mil usuários, enquanto as vendas digitais aumentaram em dois dígitos. Na América Latina, o avanço da receita líquida ajustada em reais foi de 10,2% e, em moeda constante, de 28,8%. Na Argentina, o forte desempenho ocorreu em meio a um cenário desafiador, enquanto o México e a Colômbia também apresentaram crescimento.

A The Body Shop continua a mostrar bons resultados de seu plano de transformação. A receita líquida cresceu 1,1% em reais e 3,8% em moeda constante. Excluindo os efeitos dos eventos em Hong Kong, o aumento da receita em moeda constante teria sido de 6,4%. As vendas das lojas próprias, em bases comparáveis, aumentaram 3,1% no Reino Unido, o que ressalta a atratividade da marca em seu maior mercado. O EBITDA ajustado foi de R$ 69 milhões, com margem de 7,4%, impactado pelos eventos em Hong Kong. Excluindo esse efeito, a margem EBITDA ajustada aumentou 30 pontos-base, para 8,0%.

A Aesop, por sua vez, teve mais um trimestre de forte crescimento. A receita aumentou 10,8% em reais e 10,2% em moeda constante. No conceito "mesmas lojas", as vendas subiram 9% no trimestre, e ainda houve a abertura de mais quatro lojas exclusivas no período, elevando o total para 240. A margem EBITDA no trimestre foi de 12%, alta de 300 pontos-base.

A relação entre dívida líquida e EBITDA de Natura &Co ficou em 2,98 vezes, queda em relação ao mesmo trimestre do ano anterior (3,27 vezes). O grupo continua no caminho certo para atingir a meta de redução do endividamento da companhia para o nível anterior à aquisição da The Body Shop, de 1,4 vez até 2021.

Sobre Natura &Co

Resultado da combinação entre Natura, Aesop e The Body Shop, Natura &Co consolida a criação de um grupo de cosméticos global, multicanal e multimarcas, movido por propósitos. Em 2018, a Natura &Co registrou receita líquida de R$ 13,4 bilhões. As três empresas do grupo estão empenhadas em gerar impactos econômicos, sociais e ambientais positivos. Fundada em 1969 por Luiz Seabra, a Natura é uma multinacional brasileira de higiene e cosmética, líder no setor de venda direta no Brasil. Fundada em 1976 em Brighton, na Inglaterra, por Anita Roddick, a The Body Shop é uma marca de beleza global que procura fazer diferença no mundo. Criada em 1987, a marca australiana Aesop tem a missão de oferecer um portfólio de produtos superlativos para a pele, cabelo e corpo. Saiba mais em www.naturaeco.com

AUSÊNCIA DE OFERTA OU SOLICITAÇÃO Esta apresentação tem fins meramente informativos e não configura oferta de venda ou solicitação de oferta de compra de quaisquer valores mobiliários ou solicitação de voto ou aprovação, nem haverá a venda de quaisquer valores mobiliários em qualquer jurisdição na qual tal oferta, solicitação ou venda seriam irregulares previamente ao registro ou qualificação sob a regulação aplicável a valores mobiliários em tal jurisdição.

INFORMAÇÕES ADICIONAIS E ONDE ENCONTRÁ-LAS Esta apresentação refere-se à transação proposta envolvendo Natura Holdings S.A. ( referida em conjunto com Natura e Cosméticos S.A. como "Natura") e Avon Products, Inc ("Avon"). No âmbito da transação proposta, Natura protocolará junto à Securities Exchange Commission ("SEC") declaração de registro no Formulário F-4, que incluirá um proxy statement de Avon e um prospecto de Natura. Natura e Avon também pretendem protocolar outros documentos junto à SEC referentes à transação proposta e um proxy statement/prospecto conjunto será enviado aos acionistas de Avon. Esta apresentação não é um substituto para qualquer proxy statements, declaração de registro, proxy statement/prospecto ou quaisquer outros documentos que Natura e/ou Avon poderão protocolar junto à SEC em conexão com a transação proposta. ANTES DA TOMADA DE QUALQUER DECISÃO DE VOTO OU INVESTIMENTO, OS INVESTIDORES DEVEM LER CUIDADOSAMENTE O FORMULÁRIO F-4 E A PROXY STATEMENT/PROSPECTO CONJUNTO REFERENTES À TRANSAÇÃO PROPOSTA E QUAISQUER OUTROS DOCUMENTOS RELEVANTES EM SUA INTEIREZA QUANDO FOREM DISPONIBILIZADOS PORQUE ELES CONTERÃO INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE A TRANSAÇÃO PROPOSTA. O Formulário F-4 e o proxy statement/prospecto conjunto, assim como outros documentos protocolados que contenham informações sobre Natura e Avon serão disponibilizados sem custo no website da SEC (www.sec.gov). Cópias do proxy statement/prospecto conjunto também poderão ser obtidas, quando disponíveis, sem custo, no website da Natura em wwwNaturaeCo.com. Cópias do proxy statement/prospecto conjunto também poderão ser obtidas, quando disponíveis, sem custo, no website da Avon em www.AvonWorldWide.com/.

PARTICIPANTES DA SOLICITAÇÃO Natura e Avon, seus respectivos membros do conselho de administração, diretores e outros membros da administração e funcionários podem ser considerados como participantes da solicitação de procurações em conexão com a transação proposta. Informações referentes às pessoas que podem, sob as regras da SEC, ser consideradas participantes na solicitação de procurações em conexão com a transação proposta, incluindo a descrição de seus interesses diretos e indiretos, por holdings de valores mobiliários ou não, serão previstas no proxy statement/prospecto conjunto e outros materiais relevantes quando forem protocolados junto à SEC. Informações referentes aos membros do conselho de administração e diretores de Natura são previstas no Formulário de Referência de 2018 de Natura, versão 15, o qual foi protocolado junto à Comissão de Valores Mobiliários em 24 de abril de 2019. Informações referentes aos membros do conselho de administração e diretores de Avon são previstas no proxy statement definitivo para sua assembleia geral de acionistas ordinária de 2019, protocolada junto à SEC em 2 de abril de 2019. Estes documentos podem ser obtidos sem custo nas fontes acima citadas.

CAUTELA COM RELAÇÃO A FORWARD-LOOKING STATEMENTS Declarações e projeções feitas nesta apresentação (ou nos documentos a que faz referência) que não constituem fatos consumados ou informações podem representar forward-looking statements, conforme definido no Private Securities Litigation Reform Act of 1995. Dentre outros, tais forward-looking statements podem incluir declarações e projeções referentes à transação proposta envolvendo Natura e Avon; crenças referentes à geração de valor resultante da transação proposta entre Natura e Avon; o cronograma esperado para a conclusão da transação; benefícios e sinergias da transação; oportunidades futuras para a companhia combinada; e quaisquer outras declarações e projeções referentes a crenças, expectativas, planos, intenções, condições financeiras ou a performance de Avon e Natura. Em certos casos, palavras como "estimativa", "projeto", "previsão", "plano", "crê", "poderá", "espera", "antecipa", "pretende", "planejada", "potencial", "pode", "expectativa", "poderia", "irá/será", "iria/seria" e expressões similares, ou as expressões correspondentes em sentido oposto, poderão indicar forward-looking statements. Tais forward-looking statements são baseados nas expectativas e crenças de Natura e Avon referentes a eventos futuros e envolvendo riscos e incertezas que podem fazer com que os efetivos resultados difiram materialmente das expectativas atuais. Estes fatores são de difícil previsão exata e podem estar fora do controle de Natura e Avon. Forward-looking statements presentes nesta apresentação ou em outro documento baseiam-se em fatos ocorridos apenas até a data em que elaboradas. Novas incertezas e riscos surgem com o tempo e é impossível que Natura e Avon prevejam estes eventos ou a maneira como podem afetar Natura ou Avon. Portanto, não se deve basear em quaisquer forward-looking statements como indicativos de eventos futuros. Exceto se exigido por lei, nem Natura e nem Avon tem o dever ou a intenção de atualizar ou revisar as projeções e estimativas nesta apresentação ou em outro documento após a data de divulgação desta apresentação. Sob a luz destes riscos e incertezas, investidores devem ter em mente que resultados, eventos ou desenvolvimentos discutidos em quaisquer forward-looking statements presentes nesta apresentação podem não ocorrer. Incertezas e fatores de risco que podem afetar a performance futura de Natura e/ou Avon e fazer com que os resultados difiram dos forward-looking statements presentes nesta apresentação incluem, mas não se limitam a: (a) a capacidade das partes de consumar a transação ou satisfazer as condições para a conclusão, incluindo o recebimento das aprovações dos acionistas e o recebimento de aprovações regulatórias requeridas para a transação nos termos esperados no cronograma antecipado; (b) a capacidade das partes de atender expectativas referentes ao timing, completude e o tratamento contábil e fiscal da transação; (c) a possibilidade de que quaisquer dos benefícios antecipados na transação proposta não se concretizem ou não se concretizem no prazo previsto; (d) o risco de a integração das operações da Avon com aquelas da Natura seja materialmente atrasada ou se torne mais custosa ou difícil que o esperado; (e) o fracasso do fechamento da transação proposta por qualquer outro motivo; (f) o efeito do anúncio da transação nas relações com consumidores e consultores e resultados operacionais (incluindo, mas não se limitando a, dificuldades na manutenção de relações com funcionários e consumidores); (g) diluição causada pela subscrição de ações ordinárias adicionais de Natura em conexão com a transação; (h) a possibilidade de que a incorporação possa ser mais custosa para completar que o antecipado, incluindo como resultado de fatores ou eventos inesperados; (i) o desvio do tempo dos administradores com assuntos relacionados à transação, (j) a possibilidade de que o tratamento contábil e fiscal proposto não seja atingido; (k) os riscos descritos no item 4 do Formulário de Referência de Natura de 2018, versão 15, protocolado junto à Comissão de Valores Mobiliários em 24 de abril de 2019; e (l) os riscos descritos no Item 1A das Demonstrações Financeiras da Avon no Formulário 10-K e determinadas informações eventuais protocoladas nos Formulários 10-Q e 8-K.

(Para fins de comparação, os resultados apresentados neste documento não refletem a adoção da norma IFRS 16, que estabelece um novo padrão contábil para arrendamentos mercantis. Os resultados reportados, que consideram os efeitos do IFRS 16, estão disponíveis nas Demonstrações Financeiras da empresa. Os resultados ajustados excluem os efeitos considerados como não recorrentes ou não comparáveis entre os períodos analisados)

FONTE Natura &Co


© 2014 Todos os direitos reservados a O Globo e Agência O Globo. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.