RELEASES EMPRESARIAIS

QUARTA-FEIRA, 26 DE AGOSTO DE 2015 - Horário 16:04

Demo Day Start-Up Brasil e Venture Forum reúnem 20 startups de destaque e apresentam números de crescimento
Tecnologia / São Paulo recebe hoje, 26 de agosto, dois eventos importantes para o ecossistema empreendedor em um só: o segundo Demo Day do Programa Start-Up Brasil, uma iniciativa do MCTI , com gestão da Softex , e o Venture Forum – Empresas Aceleradas, realizado pela ABVCAP e ABDI. O encontro, que ocorre no Teatro Tucarena, trará 20 cases de sucesso, além da apresentação do balanço da Turma 2 pelo Start-Up Brasil.

"Os números mostram que tivemos um ótimo ano. Considerando apenas os primeiros 7 meses de 2015, a Turma 2 já bateu o faturamento de todo o ano de 2014. Também cabe destacar o excelente desempenho na captação de investimento externo, que hoje já supera em mais de 2x o recurso público investido," comenta Vitor Andrade, gestor Softex para o Programa Start-Up Brasil. "É muito importante ressaltar o trabalho das aceleradoras, parceiros essenciais para o sucesso do Programa. O Start-Up Brasil é uma rede conectada e os resultados obtidos até aqui nos deixam bastante animados para seguir em frente e ampliar ainda mais o impacto do Programa no país."

Lançado em novembro de 2012, o Start-Up Brasil traz, pelo segundo ano consecutivo, números gerais de crescimento das empresas. A Turma 2 recebeu 709 propostas, 74,9% nacionais e 25,1% internacionais, das quais 49 foram efetivamente apoiadas (46 nacionais e 3 internacionais), recebendo bolsas para pesquisa, desenvolvimento e inovação, além de participarem de um programa de aceleração oferecido pelas aceleradoras qualificadas pelo Programa que inclui mentoria, capacitação, conexão com investidores e investimento financeiro. Os setores mais representados na turma foram: Educação com 6 startups, Moda e Beleza com 5, Varejo também com 5 empresas, TI e Telecom e Mídia e Comunicação com 4 startups cada.

Confira os resultados do programa Start-Up Brasil para essa turma:

Investimento (considerando o período de aceleração)
O valor captado externamente, durante o processo de aceleração das empresas no programa, mais que dobrou o valor público investido.
• R$ 9,2 milhões foram investidos pelo Start-Up Brasil;
• R$ 1,8 milhões vieram das Aceleradoras qualificadas;
• R$ 24,5 milhões foram captados externamente durante o processo de aceleração.

É importante destacar que 45% das startups receberam novas rodadas de investimento ao longo do processo de aceleração.

Tão ou mais importante do que a captação de investimento é ter startups crescendo e gerando novas oportunidades. O faturamento das startups da Turma 2 cresceu 174% de janeiro a julho de 2015 em relação ao mesmo período do ano passado e passaram de uma média de 3,6 pessoas por empresa no início da aceleração para 8,7 no final do processo - um crescimento de 153% no número de postos de trabalho.

As aceleradoras qualificadas para essa rodada e que trabalharam junto com as empresas foram: 21212, Acelera MGTI, Acelera Partners, Aceleratech, Outsource Brazil, Papaya, Pipa, Start You Up e Wayra.
2015 não termina por aqui

Com a entrada da Turma 3 no final de 2014, o programa Start-Up Brasil ainda trará esse ano o Demo Day da Turma 3 e o Demo Day Internacional em São Francisco, com datas a definir.

Em dois anos de execução, o Start-Up Brasil recebeu 2.855 inscrições nas quatro turmas e apoiou até o momento 183 startups de 15 setores da economia, sendo 162 startups de 17 estados Brasileiros e 21 empresas internacionais, que vieram inovar no país de 13 países diferentes.

"O programa Start-Up Brasil foi muito assertivo no apoio a diversidade de temas transversais dentro do programa TI Maior, o que está possibilitando um posicionamento do Brasil em termos de desenvolvimento de empresas com alto valor agregado que alcançarão o mercado global. O programa hoje é uma referência mundial, como pode-se extrair das candidaturas ao programa de mais de 50 países, isto devido a excelente articulação dos corretos atores institucionais e do ecossistema", conclui Diônes Lima, Gerente de Competitividade Empresarial Softex.

Sobre o Venture Forum
O Venture Forum é um programa da ABVCAP e da ABDI que consiste na seleção e na capacitação de empresas inovadoras, para que elas possam se aproximar de potenciais investidores (gestores de fundos de investimento em participações, investidores-anjo, investidores estratégicos, corporate ventures, entre outros), interessados em participar do capital de empresas em fase de expansão e de reestruturação.

Sobre o Programa Start-Up Brasil
O Programa Nacional de Aceleração Start-Up Brasil é uma iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) com gestão operacional da Softex, em parceria com aceleradoras. O objetivo é apoiar empresas nascentes de base tecnológica, as chamadas startups.

A iniciativa conta, ainda, com a parceria do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), para a seleção de startups nacionais, e da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex- Brasil), para a seleção de startups internacionais e do espaço físico no Vale do Silício (EUA).

Durante o ano, as startups selecionadas participam de eventos, recebem acompanhamento e têm a possibilidade de participar do Demo Day nacional ou internacional.

O Start-Up Brasil integra o Programa Estratégico de Software e Serviços de Tecnologia da Informação (TI Maior), que é uma das ações da Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (ENCTI). Saiba mais acessando o site: www.startupbrasil.org.br, pelo Facebook e pelo Twitter @startup_br.

Informações para imprensa
Carolina Morandini
carol@startupbrasil.org.br | Tel.: +55 11 98676.0004 | +55 11 94559.8527

Nota:
MCTI: Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação
Softex: Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro
ABVCAP: Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital
ABDI: Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial

Website: http://www.startupbrasil.org.br
© 2014 Todos os direitos reservados a O Globo e Agência O Globo. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.